Author Bios

Intervenções:

  • Não me vou alongar demasiado nesta intervenção, apenas deixar no ar o descontentamento, indignação, e inconformismo em que a classe dos funcionários públicos vive na atualidade nos Açores. Falo por experiência própria, porque o sou, e por experiências vividas e ouvidas com colegas do serviço onde trabalho, bem como de outros serviços.

  • Tanto que o Município tem por onde se preocupar, mas pensa-se que com a Lagoa Smart City, e a divulgação como tal, fica tudo resolvido?!? Não…óbvio que não.

  • O ruído emitido pela fábrica é de uma violência auditiva, e de duração que não cabe na cabeça de ninguém, é que a mesma emite ruído, por norma, entre as 07:30 e prolonga-se na maior parte das vezes até cerca das 22:30 quando não chega às 23:00…

  • Tendo nós a única mulher presidente de câmara nos Açores, não deveríamos ser um concelho em que essa igualdade, ou pelo menos, a intenção, se notasse e/ou evidenciasse ainda mais?!

  • Bem… temos cidade, temos cidadãos, temos um centro de saúde que fecha às 19:00, e um plano de emergência municipal, em meu entender bem elaborado, mas, e as sirenes que ouço às vezes?!

    Ah, pois é. Vêm de Ponta Delgada..."

  • Começamos, mais um ano, 2016, e com o início deste novo ano, finalmente, o Bloco de Esquerda chegou à Lagoa, ou a Lagoa chegou ao Bloco de Esquerda, depende do ponto de vista.

Opinião:

  • Aos açorianos, pergunto se querem mais do mesmo. Eu não, por isso opto por FAZER A DIFERENÇA, e faça você também.

  • Basta olhar para o nosso Governo Regional, em época muito próxima de eleições, e vê-lo a tecer uma manta de retalhos enorme, com ponta daqui, costura dali, prega daqui, tesourada dali, a tentar compor uma manta de retalhos.

  • A fome instalou-se nos Açores, até mesmo onde antes nunca a pensaríamos ver. É normal quando vou ao café, ver um jovem adulto, pedir a um ou outro cliente €0,20 para juntar e poder beber um copo de leite?!

  • Tanto que o Município tem por onde se preocupar, mas pensa-se que com a Lagoa Smart City, e a divulgação como tal, fica tudo resolvido?!? Não…óbvio que não.

  • O ruído emitido pela fábrica é de uma violência auditiva, e de duração que não cabe na cabeça de ninguém, é que a mesma emite ruído, por norma, entre as 07:30 e prolonga-se na maior parte das vezes até cerca das 22:30 quando não chega às 23:00…

  • E se virássemos as atenções, ou a Sr.ª Presidente as virasse, para Terra?

  • Temos cidade, temos cidadãos, temos um centro de saúde que fecha às 19:00, e um plano de emergência municipal, em meu entender bem elaborado, mas, e as sirenes que ouço às vezes?! Ah, pois é. Vêm de Ponta Delgada...

  • Quero levar as vossas vozes mais longe, e levá-las a ouvidos que se preocupam com as pessoas, com o seu bem estar, com as suas condições de vida, com a precaridade laboral, e de vida, que vivemos na atual conjuntura social, económica e política, na região, e no país, afinal no BE nós vemos pessoas por trás dos números.