Share |

António Lima é o novo coordenador do Bloco de Esquerda Açores

António Lima é o novo coordenador do Bloco de Esquerda Açores, que substitui Zuraida Soares e Paulo Mendes. Na sessão de encerramento da VI Convenção Regional do partido, que se realizou este fim-de-semana em Ponta Delgada, o agora líder do BE/Açores apontou o combate ao desemprego, à pobreza e à precariedade como uma prioridade, e defendeu caminhos para uma economia diferente: “Uma economia capaz de criar mais valor acrescentado, uma economia que pague melhores salários, sendo assim capaz de atrair os jovens desta região que para fora vão estudar e não voltam, uma economia capaz de atrair emprego qualificado”.

A estratégia de desenvolvimento dos Açores defendida na moção de orientação política subscrita por António Lima, e aprovada na convenção, passa, de forma determinante, pelo aproveitamento do potencial do Mar da Região. Nesta matéria, o líder do BE/Açores salientou a proposta que o BE apresentou no parlamento dos Açores, que dá à Região o poder de decisão sobre o seu mar, e assinalou “com orgulho” que o BE é “o único partido que, quer na Região quer na República, tem a mesma posição sobre a gestão do mar: O Mar dos Açores e o seu potencial de desenvolvimento pertencem à região e têm que ser da sua responsabilidade”.

António Lima classificou o executivo de Vasco Cordeiro, como “um Governo anestesiado” que está “sem projeto para desenvolver os Açores”.

Quanto ao “novo ciclo” anunciado por Vasco Cordeiro, o líder do BE/Açores considera que é, afinal, “a velha política de cedências aos sectores económicos mais poderosos da Região e à direita”, e aponta exemplos: A notória degradação dos serviços públicos – nomeadamente no sector da Saúde, em que o Governo vai financiar um enorme hospital privado, quando há falta de recursos no sector público –, a concessão do porto da Praia da Vitória – para tirar o negócio do gás natural do sector público e entregá-lo a privados –, e a privatização de 49 % da SATA Internacional – negócio que, a concretizar-se, retira à Região o controlo da empresa.

“O BE apresenta caminhos para um melhor futuro, para uma economia desenvolvida. Pelo contrário, o Governo Regional está enredado em tentar sustentar e aumentar as rendas dos poderosos, para se manter no poder”, disse o agora coordenador do Bloco nos Açores.

António Lima acusou também o Governo Regional e o PS/Açores de estarem “mais preocupados em defender o Governo de António Costa do que em defender os Açores”, e deu exemplos de falhas do Governo da República para com os Açores, que têm tido a conivência do Governo Regional: o atraso na construção da nova prisão de Ponta Delgada, a falta de equipas de busca e salvamento da força aérea que fazem  evacuações médicas, a recusa em alterar a Lei de Finanças Regionais da autoria do PSD e CDS que prejudica os Açores, ou a falta de pessoal e de meios para os serviços da responsabilidade do Estado, como a justiça e as forças de segurança.

António Lima dirigiu ainda palavras de agradecimento a Zuraida Soares, que depois de 14 anos como membro da Comissão Coordenadora Regional do BE/Açores, 12 dos quais como coordenadora regional, deixa de fazer parte da direção do partido.