Share |

Arquitecto Kol de Carvalho é o candidato do BE à Câmara Municipal de Ponta Delgada

 

O arquitecto Jorge Kol de Carvalho foi hoje apresentado como cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda, como independente, à Câmara Municipal de Ponta Delgada. Zuraida Soares volta a ser a candidata do partido à autarquia da Ribeira Grande. Vera Pires será a cabeça-de-lista à Assembleia Municipal de Ponta Delgada e Daniel Ferreira ao mesmo órgão na Ribeira Grande.

Kol de Carvalho considera que nas últimas décadas se tem vindo a deixar cair as soluções adequadas para o desenvolvimento da cidade e do concelho de Ponta Delgada, e critica fortemente a importação de soluções estafadas noutros territórios mais robustos, que aqui, levianamente, se reaplicam como casos de sucesso.

“O dinheiro fácil ‘esfrangalhou’ a cidade. A democracia atrofiou, as soluções deixaram de se procurar, de se estudar, aprofundar, discutir e avaliar, para serem tomadas casuística e levianamente, em abono de pressas e interesses”, disse, denunciando também que a “promiscuidade de entidades e registos sobre o território ganhou uma escala que ultrapassa competências”.

O candidato do BE à autarquia de Ponta Delgada acredita que é possível “alterar o que está instituído e remar contra a maré”: “É tempo de pôr fim ao silêncio a que nos remetemos. É tempo de mobilizar, de participar, espevitar, e reencaminhar Ponta Delgada”.

Kol de Carvalho prefere apostar no diagnóstico antes de passar à terapeutica, em vez de aplicar receitas pré-fabricadas: “Conhecem-se as maleitas. E para o concelho urge uma terapeutica social, urbana e ambiental integrada e centrada na dignidade das pessoas, e que passa por uma forte valorização participativa”.

Catarina Martins, coordenadora nacional do BE, salientou a importância de ter nas listas do BE pessoas que pensam sobre os locais, lembrando que o arquitecto Kol de Carvalho não tem estado estado nesta luta do lado partidário, mas tem tido uma opinião consequente e consistente sobre o desenvilvimento de Ponta Delgada.

A líder nacional do BE reafirmou também as três linhas orientadoras que unem as candidaturas autárquiacas do partido por todo o País: a defesa da democracia – combate contra a extinção de freguesias, implementação de Orçamentos Participativos, referendos, sessões de assembleias municipais mais participadas pela população, e vereações mais transparentes –, defesa intrasigente dos bens públicos essenciais – água, saneamento e gestão de resíduos não podem ser privatizados –, e implementação de políticas de resposta à emergência social.

Zuraida Soares salientou o trabalho autárquico desenvolvido na presente legislatura, e garante que o BE pretende continuar a dar voz aos que menos têm, e assinalou a importância de romper com a bipolarização, que não beneficia ninguém. “Não encontro qualquer diferença nas políticas implementadas pelas autarquias do PS e do PSD” disse a candidata do BE à autarquia da Ribeira Grande, desafiando, quem conseguir, a mostrar o contrário.