Share |

BE alerta para perigos da mineração do mar para o ambiente e para a economia dos Açores

No dia em que os jovens de todo mundo se manifestam pela defesa do clima, António Lima dedicou o dia de campanha ao ambiente. O candidato do BE alertou para os perigos da mineração do mar profundo, que terá consequências negativas para as atividades económicas que se desenvolvem no mar, como a pesca, as atividades turísticas e a investigação, que têm um enorme peso económico para os Açores.

Numa visita a uma empresa de mergulho em Ponta Delgada, cuja atividade depende da existência de uma boa qualidade ambiental, António Lima marcou a posição do Bloco de Esquerda contra a mineração do fundo do mar dos Açores, e defendeu uma alteração legislativa para que em caso de conflito de interesses entre várias atividades a realizar no mar da Região, prevaleça a defesa do ambiente e a utilização sustentável dos recursos do mar.

“O risco da mineração dos fundos oceânicos é um risco real”, alerta António Lima, que acrescenta que há “cada vez mais estudos que apontam para um impacto profundo da mineração dos oceanos no clima”, não só por provocarem impactos negativos noutras atividades económicas ligadas ao mar, como a pesca e o turismo, mas também pela libertação de dióxido de carbono armazenado nos fundos oceânicos que esta atividade provoca.

Para o Bloco de Esquerda, a melhor forma de garantir a preservação da qualidade ambiental, a biodiversidade do nosso mar, e o retorno económico sustentável dos recursos do mar para todos os açorianos a longo prazo, é alterar a atual lei – da responsabilidade de PS, PSD e CDS – para que os Açores passem a ter poder de decisão sobre a gestão e ordenamento do mar do arquipélago.

António Lima estará presente na manifestação pela defesa do ambiente que se realiza hoje em Ponta Delgada.