Share |

BE leva ao parlamento proposta contra encerramento dos CTT na Calheta

Numa concentração à porta da estação dos CTT da Calheta, em Ponta Delgada, promovida hoje pelo Bloco de Esquerda, o deputado António Lima anunciou que o BE apresentou uma proposta que pretende unir o parlamento dos Açores, o Governo Regional e o Governo da República contra o anunciado encerramento daquele posto dos correios.

“Esta estação não pode fechar”, lia-se na faixa exibida pelo Bloco de Esquerda à porta dos posto dos CTT da Calheta. Na concentração, promovida pelo BE, estiveram presentes o presidente da Junta de Freguesia de São Pedro, utentes daquele posto dos CTT, assim como Santos Narciso, membro do movimento que está a promover um abaixo-assinado contra o encerramento desta estação.

O deputado do BE salientou a importância da estação dos CTT da Calheta, que presta um serviço essencial, não só à população da freguesia de São Pedro, mas a todas as pessoas que vivem e trabalham em Ponta Delgada.

Note-se que, com o encerramento desta estação, a sobrelotação que se verifica nas restantes duas estações de Ponta Delgada vai piorar.

“Toda a gente percebe que esta estação não pode encerrar. Gostaríamos de ver todas as entidades públicas contra o encerramento, incluindo a câmara municipal, que ainda não se pronunciou sobre esta questão”, lamentou o deputado do BE.

A proposta que o BE leva ao parlamento dos Açores na próxima semana, e que foi apresentada com pedido de urgência, pretende pressionar o Governo Regional e o Governo da República para que tomem as medidas possíveis para impedir o fecho da estação da Calheta.

António Lima, em delarações aos jornalistas, considerou que a privatização dos CTT foi um erro, que levou a uma profunda degração do serviço, assim como a despedimentos e encerramento de balcões. Perante esta situação, o BE defende que os CTT devem voltar ao controlo público, uma posição que o BE tem defendido na Assembleia da República.