Share |

BE leva ao parlamento proposta para fixar nova empresa pública de transporte marítimo no Faial

O Bloco de Esquerda entregou hoje no parlamento um projecto de resolução que pretende recomendar ao Governo Regional que instale a sede da empresa de transporte marítimo que resulte da já anunciada fusão da Atlanticoline e da Transmaçor, bem como a sua administração, centro operacional e serviços administrativos na cidade da Horta.

A proposta do Bloco de Esquerda vai ao encontro das pretensões quer da população – recorde-se que, recentemente, foi entregue no parlamento açoriano uma petição com mais de 500 assinaturas que defende o mesmo que a iniciativa do BE –, quer de várias instituições, como a Câmara do Comércio e Indústria da Horta e a Assembleia Municipal. Aliás, o próprio secretário regional do Turismo e Transportes revelou não ver qualquer impedimento à instalação da sede desta nova empresa no Faial.

O facto de as ilhas do Triângulo serem a zona dos Açores em que o tráfego de passageiros é maior, e em que o transporte marítimo é efectuado todo o ano, sendo mesmo imprescindível, é o principal argumento que sustenta a proposta do BE.

O Bloco de Esquerda considera que a fusão destas empresas irá permitir, à entidade resultante, beneficiar das instalações da TRANSMAÇOR, recentemente recuperadas, onde funcionam os seus serviços administrativos. Esta possibilidade permite, à partida, a instalação imediata da nova entidade sem acréscimo de custos.

A iniciativa do Bloco de Esquerda foi entregue com pedido de urgência, para que tivesse efeitos práticos o mais brevemente possível. A urgência foi, no entanto, chumbada. O diploma irá agora seguir percurso normal até ser votado em plenário.