Share |

BE levanta questões sobre reaparecimento de legionella no Hospital da Horta

Perante o reaparecimento de legionella – uma bactéria que pode ter consequentes muito graves para a saúde – nas canalizações do Hospital da Horta, sete meses depois de se ter verificado a mesma situação, o Bloco de Esquerda questiona o Governo Regional sobre as medidas que estão a ser implementadas neste momento, e quer saber que razões levaram à ineficácia das medidas anteriormente implementadas, que tinham como objetivo impedir o ressurgimento do problema.

Num requerimento entregue hoje no parlamento, Zuraida Soares e Paulo Mendes solicitam a cópia do procedimento de prevenção à legionella aplicado após a deteção da bactéria no Hospital da Horta em setembro de 2016, e perguntam porque não foi considerada a hipótese de substituição imediata da canalização da zona afetada.

Em resposta a um requerimento do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda referente ao aparecimento de legionella no Hospital da Horta em 2016, o Governo Regional referiu que, para além de medidas de desinfeção térmica nos tanques das tubagens, foi efetuada uma desinfeção química de todo o sistema afetado, e que foi implemento um procedimento com instruções de trabalho transversal onde se descreve a metodologia para prevenção à Legionella, do qual consta uma intervenção bianual em todos os serviços.

Tendo em conta que as medidas implementadas no passado não impediram que o problema voltasse a aparecer, o BE pergunta que medidas foram, ou vão ser, implementadas para debelar a possibilidade de surgimento de nova infeção de legionella no Hospital da Horta.

AnexoTamanho
20170510_requerimento_-_presenca_da_bacteria_de_legionella_no_hospital_da_horta_ii.pdf1.27 MB