Share |

BE questiona Governo da República sobre abandono do Faial e Pico pela TAP

No seguimento do abandono das ligações entre o continente português e as ilhas do Faial e Pico pela companhia aérea portuguesa TAP, o Bloco de Esquerda exige que o Governo da República explique como serão compensados os passageiros que terão de adiar as suas viagens ou deslocarem-se para outras ilhas para efectuar a sua viagem, e quais as garantias que foram dadas aos trabalhadores do balcão da companhia na cidade na Horta.

Numa pergunta enviada ao Governo, o Grupo Parlamentar do BE na Assembleia da República considera que o desinteresse comercial da TAP nestas rotas é sintomático da incompatibilidade entre o interesse privado, naturalmente direcionado para a obtenção de lucro financeiro, e a prestação de um serviço público, pelo que a decisão de encerramento, nesta fase, pode ser entendido como uma manobra para tornar a TAP mais apetecível para a sua aquisição por privados.

Os passageiros que adquiriram bilhetes para viagens com datas posteriores ao encerramento das rotas em causa foram confrontados com a necessidade de terem de adiar as suas viagens ou deslocarem-se para outras ilhas, de forma a terem um voo de ligação com Lisboa ou para as ilhas do Faial ou do Pico, uma situação que não respeita os direitos dos passageiros.