Share |

Candidato do BE defende medidas rigorosas para gerir pressão do turismo em Ponta Delgada

O candidato do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Ponta Delgada considera importante implementar medidas rigorosas para gerir a pressão que o aumento do turismo está provocar na natureza, na habitação, no espaço público e na produção de resíduos.

Jorge Kol de Carvalho esteve ontem no miradouro da Vista do Rei, um local paradigmático em relação às consequências negativas do aumento do turismo: “Há motas a cruzar-se com as pessoas que estão a fazer trilhos. Isto está cheio de lixo. Não há estacionamento sufciente”.

O candidato reconhece o papel fundamental que o turismo assume no crescimento da economia e do emprego, mas salienta que este crescimento não pode ser feito à custa de precariedade laboral, de horários fora dos limites da razoabilidade, nem de baixos salários.

“Regozijamo-nos com o crescimento do turismo, mas não com o modelo que o assiste”, assinalou o arquiteto que lidera a lista do BE à autarquia.

Uma das soluções para evitar consequências negativas do turismo na vida dos munícipes, passa pela imposição de um limite à quantidade de habitações destinadas ao alojamento local. Uma medida que já foi aplicada com sucesso noutras cidades, como Berlim, e que contribui para evitar o aumento dos preços das rendas para habitação permanente.

Jorge Kol de Carvalho salienta que neste momento já começam a existir problemas relacionados com a habitação: “Pessoas que tinham baixos rendimentos, mas que cumpriam o pagamento da renda, foram postas fora e neste momento não conseguem aceder a uma casa, porque os seus salários são baixos, e o preço das rendas subiu de forma fora do comum”.