Share |

Governo Regional continua a não definir prazo para fusão das empresas de transporte marítimo

O Bloco de Esquerda critica o facto de o Governo Regional se recusar a apontar um prazo para a concretização da fusão da Transmaçor e Atlanticoline e receia que o anúncio feito ontem pelo conselho do Governo  seja apenas uma forma de “atirar areia para os olhos” dos faialenses, para deixar tudo na mesma por tempo indeterminado.

Recorde-se que, em Março de 2014, a Assembleia Legislativa dos Açores aprovou por unanimidade um projecto de resolução do Bloco de Esquerda Açores que recomendava ao Governo Regional, não só a fusão destas duas empresas de transporte marítimo, mas também a implementação da sede da administração – da empresa resultante de fusão – assim como o seu centro operacional e serviços administrativos, na ilha do Faial.

Não se compreende porque razão demorou o Governo Regional um ano a aprovar em Conselho de Governo uma recomendação que foi aprovada por unanimidade no parlamento.

O BE continua a aguardar uma resposta do Governo ao requerimento enviado no passado mês de Fevereiro, e cujo prazo de resposta termina na próxima sexta-feira, à seguinte pergunta directa e objectiva: “Quando pensa o Governo Regional fundir as duas empresas regionais Transmaçor e Atlanticoline e estabelecer a administração e centro operacional na cidade da Horta?”.

O anúncio de ontem não responde à pergunta do Bloco de Esquerda, nem demite o Governo da obrigação de enviar uma resposta dentro do prazo legal.

O BE entende que o cumprimento desta recomendação irá beneficiar a economia do Faial e da Região, porque vai criar mais emprego, diminuir os custos da operação destas empresas, e aumentar a qualidade do serviço prestado.