Share |

O BE é o único partido que coloca medidas concretas para os Açores no programa nacional

O Bloco de Esquerda é o único partido que coloca medidas concretas para os Açores no seu programa nacional, comprometendo todos os deputados eleitos com estas propostas. “O PSD tem algumas frases vazias”, “o CDS não fala dos Açores” e “a grande medida do PS é que o Governo Regional reúna uma vez por ano com o Governo da República”, disse hoje António Lima numa sessão pública realizada na ilha Terceira sobre o programa eleitoral do BE.

O programa nacional do BE aponta 18 compromissos concretos para os Açores, entre os quais vários investimentos da República, assim como alterações legislativas para o aprofundamento da Autonomia, nomeadamente através da atribuição de poder vinculativo da Região sobre as matérias que respeitam diretamente aos Açores, em tratados internacionais e na gestão do mar.

“O Bloco de Esquerda é o único partido que não tem medo de assumir os seus compromissos para com os Açores, e que os tem claros como a água no seu programa nacional”, disse António Lima.

Quanto à grande medida eleitoral que o PS assume para os Açores no seu programa nacional – a criação de um concelho de concertação com as regiões autónomas –, António Lima salienta que “isso não é mais do que a realização de uma reunião anual entre os governos das regiões autónomas e a república”, o que “deve ser a promessa eleitoral mais barata da história, porque propõe fazer aquilo que normalmente já existe”.

Por outro lado, é significativo que esta proposta surja por parte do PS, porque é o “assumir que algo não está bem na relação entre os dois governos”, e é tentar apagar as promessas que ficaram por cumprir, passando a ideia de que “agora é que vai ser”.

Entre as várias propostas que o BE inscreveu no seu programa nacional, constam a instalações de radares meteorológicos, a atribuição de uma segunda tripulação para os helicópteros da Força Aérea para busca e salvamento estacionada nos Açores, a descontaminação dos solos e aquíferos da Terceira, a construção do novo estabelecimento prisional em São Miguel, o reforço dos serviços do Estado nos Açores na área da Segurança e da Justiça, e a reversão da privatização da ANA para possibilitar o investimento público no aumento da pista do aeroporto da Horta.

“Estes são investimentos públicos fundamentais para os Açores”, afirma o candidato do BE.

A sessão pública contou também com a presença do atual líder parlamentar do BE na Assembleia da República, Pedro Filipe Soares, que apontou o dedo ao ministro das Finanças pela não concretização de muitos dos investimentos que estavam previstos para os Açores nos vários Orçamentos de Estado.

“O Ministério das Finanças tem gavetas muito grandes, e quando os investimentos chegam ao ministério são arrumados numa gaveta e nunca mais saem de lá”, ironizou o dirigente nacional do BE, pedindo mais força do BE no parlamento para contrariar esta situação no futuro.