Share |

O melhor agradecimento aos profissionais de saúde será melhorar a remuneração e a carreira

“O melhor agradecimento que podemos dar aos profissionais de saúde é, de uma vez por todas, proporcionar-lhes adequadas remunerações, perspetivas de carreira, e os meios necessários para o seu trabalho”, disse o deputado António Lima, que salienta a importância decisiva do Serviço Regional de Saúde público e de acesso universal para o combate à pandemia.

O líder parlamentar do Bloco de Esquerda deixou, mais uma vez, críticas ao subfinanciamento constante do Serviço Regional de Saúde ao longo dos anos, e considera que o próximo Orçamento Suplementar é uma “oportunidade para alterar esta política” e investir aquilo que o Serviço Regional de Saúde realmente precisa para dar resposta às necessidades.

Mas “não vale meter no orçamento o que se gastou a mais nesta fase do combate à COVID-19 e depois apresentar números muito sonantes”, alertou o deputado.

Numa declaração política proferida esta manhã no parlamento, António Lima disse que é fundamental implementar “um plano sério, com metas e compromissos para a recuperação” das consultas e cirurgias que ficaram por realizar devido ao combate à pandemia.

“É a própria autoridade de saúde que assume que até doentes oncológicos ficaram para trás. E porque o assunto é grave não se entende o anúncio público do Governo de que só a partir de 25 de maio o Hospital de Ponta Delgada retomará a atividade normal, nomeadamente a consulta externa”, alertou o deputado do BE.

António Lima pediu ainda explicações à secretária regional da Saúde sobre a recente demissão da direção clínica do Hospital da Horta.

“A público vieram notícias de divergências com a autoridade de saúde pelo facto de esta exigir, aos médicos que se deslocam do continente para prestar serviço no Hospital da Horta, o cumprimento de quarentena obrigatória. Se foi esta a razão, como se justifica, numa altura de carência de médicos para acudir a outras necessidades do SRS que não a resposta à COVID-19, não terem sido delineadas respostas mais expeditas, mas seguras, para despistar a possível contaminação destes profissionais?”, questionou o deputado do BE.

“Ainda dentro deste tema, foi público em Outubro passado a assinatura de um protocolo entre o Hospital da Horta e o Centro Hospitalar de Lisboa Central para deslocação de médicos especialistas ao Hospital da Horta. Consta que o Governo regional não apoiou esta iniciativa. Será que isso corresponde à verdade?”.

Todas as questões colocadas pelo Bloco de Esquerda não tiveram resposta por parte do Governo Regional.