Share |

Ponta Delgada com análises ao glifosato na água para consumo humano

Por proposta do Bloco de Esquerda, a Assembleia Municipal de Ponta Delgada decidiu, por proposta do BE, recomendar que a autarquia inclua o glifosato nas análises à água destinada ao consumo humano no concelho de Ponta Delgada. A proposta foi aprovada com os votos do BE e do PS.

A deputada municipal do BE, Verónica Lopes, salientou que o glifosato é o herbicida não seletivo mais vendido no país e no planeta, sendo profusamente utilizado em meio agrícola e também no espaço público das zonas urbanizadas e nas vias de comunicação.

Referiu ainda que em 2015, a Organização Mundial de Saúde classificou o glifosato como comprovadamente cancerígeno em animais e provavelmente cancerígeno em humanos e que por isso as entidades gestoras da água destinada ao consumo humano devem incluir, nas sua análises, testes à presença do pesticida glifosato.

Recentemente foi noticiado que a Plataforma Transgénicos Fora recolheu e mandou analisar amostras de urina de 62 voluntários escolhidos aleatoriamente. Em julho de 2018, 44 apresentavam glifosato na urina. Em outubro todas as 62 amostras continham esse composto. Esta análise mostra que a exposição ao glifosato no país tende a ser continua e é bastante alargada na sociedade.

No entanto, apesar dos riscos para a saúde pública e da existência profícua na sociedade, os programas de controlo da qualidade da água que contemplam a análise à presença de vários pesticidas na água para consumo humano, deixam de fora dessa exigência o glifosato.

O Bloco de Esquerda viu também ser aprovado por unanimidade, na reunião de ontem da Assembleia Municipal de Ponta Delgada, um voto de saudação pelos 45 anos do 25 de abril e pelo 1º de maio.