Share |

O BE de Férias?! Nem Pensar

Quando se pensa que no verão todos estamos de férias, é mentira. O Bloco não entra de férias, trabalhamos 12 meses, sempre em prol dos Açores e dos açorianos.

Se não estamos no terreno, estamos em trabalhos de preparação, de estudos, de delineação de medidas que nos aproximem mais ainda do nosso povo.

De Santa Maria ao Corvo, somos BE de garra, de todos e para todos.

Cada ilha tem os seus problemas específicos, que são alvo do nosso estudo, de delineação de soluções em prol de darmos em cada ilha, aquilo que os seus habitantes precisam, merecem e é deles, por direito, não de um Governo Regional que deambula durante 3 anos, e no último ano de governação, só não visita 10 ilhas, e promete, porque temos apenas 9, senão também iam à 10.ª ilha.

É que tal como já escrevi em artigo anterior, nunca vi tanta inauguração, primeiras pedras de obras, assinatura de protocolos... é um ver se te avias. Haja traje a rigor, para os nossos governantes andarem de um lado para o outro, numa azáfama de agenda, que não lembra a ninguém.

Teremos propostas sérias, dignas, e realizáveis em diversas áreas, desde a saúde, à agro-pecuária, do mar e das pescas e principalmente dos pescadores, da administração pública, à saúde, à cultura, à ciência. Temos equipa sólida e coerente para avançar e dar o nosso melhor, provar aos açorianos que nós vamos FAZER A DIFERENÇA.

Aos cabeças de lista, de cada ilha, já conhecidos, deixo-vos, açorianos, a maior confiança, são pessoas que já deram provas do que valem, do que fazem, e do que são capazes. Força camaradas Zuraida Soares ( São Miguel e Círculo de Compensação ), Paulo Mendes (Terceira), Alexandra Manes (Flores), Ricardo Toste (Graciosa) e os independentes João Stattmiller (Faial) e Carlos Oliveira (Santa Maria). Os restantes candidatos por cada círculo eleitoral, serão também conhecidos, a seu tempo. Não temos a urgência de fazer notícia nas capas de jornais, e televisão de “A, B, ou C, são candidatos”.  Fazemos as coisas com calma, e na hora certa tudo surgirá.

Aos açorianos, pergunto se querem mais do mesmo. Eu não, por isso opto por FAZER A DIFERENÇA, e faça você também.