Share |

O Bloco está vivo!

Quem pressagiava o fim e a desagregação do Bloco de Esquerda, enganou-se redondamente, pois os eleitores(as) reconheceram o nosso empenho na luta pelas suas causas, as suas necessidades e as suas premências.

Enquanto existir a fome, as más condições de vida, as proibições arcaicas, as discriminações, a ausência de ambiente, as desigualdades sociais, as injustiças, as marginalizações e a sobrevivência em vez de vivência, o Bloco jamais perderá o sentido da sua existência.

Somos um esquerda moderna virada para os problemas de hoje, carregada de diversidade de ideias, sem pensamento único, com uma pluralidade classista que só nos enriquece, com a qual não nos dividimos, mas estamos unidos nos nossos ideais, desprezando centralismos democráticos, velhos como as ideologias que andamos agarrados tantos anos, as quais constituiram obstáculos à ligação às pessoas e à realidade que nos rodeia.

Após uma fase cinzenta de indefinição, de erros politicos consecutivos, de impotência perante a falta de meios e de muitas oscilações, o bloco voltou reforçado, com grande capacidade, principalmente pela justiça das suas propostas, transmitidas de maneira clara e evidente por um porta-voz ultra cativante, que é Catarina Martins.

Nos Açores, também obtivemos um grande resultado eleitoral, contudo há que reconhecer o efeito nacional na região, nomeadamente da mesma porta-voz, que foi de fato muito nencionada durante toda a campanha, não esquecendo a sua excecional prestação nos debates com outros lideres políticos.

Nesta região, o BE necessita de mais organização, mais recursos humanos, mais meios para se trabalhar e estar mais ao encontro das pessoas, conhecendo melhor os seus problemas, sem ser exclusivo e determinante as tarefas parlamentares.

É claro, que o Bloco de Esquerda-Açores deve refletir sobre a sua liderança. Tem que ser mais reivindicativa em relação ao Bloco nacional, mais autónoma, com representatividade social, envolvimento na sociedade e suas problemáticas, fundamentalmente mais enraízada no mundo da escravidão moderna, apontando o caminho que é possível uma vida diferente e melhor.

Uma palavra de estímulo e alento a todos os militantes e dirigentes, pelo seu empenho, esforço e vontade no acreditar, que realmente denotaram nesta campanha e que culminou em óptimo desfecho.

Agora as responsabilidades são acrescidas, temos de ser realistas, não embandeirar em arco, mas com humildade, continuarmos a trabalhar em prol do Bloco e do nosso povo.