Share |

Os molhos de chaves dos bairros americanos

Em 2017, enquanto candidata do BE à Câmara Municipal da Praia da Vitória, tive a coragem de apresentar e defender uma proposta concreta relativamente aos Bairros “Nascer do Sol” e “Beira Mar”, mais conhecidos por “bairros dos americanos”, que estavam a degradar-se de dia para dia à espera da resolução do imbróglio entre o Governo Regional e o Governo da República para ver quem ficaria com o molho de chaves das 450 casas destes bairros, que nenhuma das partes parecia querer assumir.

A proposta, de uma forma resumida, pretendia destinar aquelas casas à habitação com rendas acessíveis, colocando as pessoas em primeiro lugar.

Não é novidade que os preços que se praticam no mercado imobiliário impedem muitos casais e muitos jovens de arrendar casa, até porque cada vez são menos as que estão disponíveis para arrendamento de longa duração.

Também sabemos que há muitas pessoas que não reúnem os critérios necessários para aceder ao crédito bancário para aquisição de habitação permanente.

Perante as notícias que davam conta de que o Governo Regional – ignorando as dificuldades do acesso à habitação que existe na Terceira – pretendia destinar as mais de 450 casas exclusivamente para o projeto Terceira Tech Island, o BE apresentou uma proposta para que parte das casas destes dois bairros fosse destinada à habitação social e ao arrendamento com valor inferior à média praticado na ilha Terceira.

O Bloco de Esquerda queria destinar mais casas para esta finalidade de imediato, mas o PS impôs um limite de 20 casas para a fase inicial.

Apesar destes limites impostos pelo PS para aprovar a proposta, o Bloco de Esquerda conseguiu abrir caminho para o futuro, ao dar início a uma bolsa de arrendamento público que vai contribuir para regular o mercado e baixar os preços do arrendamento de uma forma geral.

À semelhança da resolução do problema que levou a despejos no Bairro de Santa Rita, mais uma vez, o BE deu o passo necessário para ajudar a Câmara da Praia da Vitória. Queríamos ir mais longe, mas foi o próprio partido que suporta a autarquia da Praia da Vitória que assim o limitou.