Opinião

Desde o início de dezembro que o Governo Regional afirma estar a estudar um apoio aos pais que têm de faltar ao trabalho para apoiar os filhos cujas escolas encerraram. Esse apoio é urgente e essencial. Não podem ser as famílias a pagar o custo do combate à pandemia.

Adere ao Bloco

Destaque

O Bloco de Esquerda vai propor que o Governo garanta o acesso a computador portátil a todos os alunos dos Açores, a começar pelos alunos das escolas já encerradas, porque “o ensino à distância sem computador é uma miragem”. “Continuam a existir alunos em ensino à distância sem acesso a equipamentos informáticos, alguns desde novembro!”, alertou hoje o deputado António Lima, em conferência de imprensa.

As medidas de apoio às empresas anunciadas pelo governo regional são um atentado aos trabalhadores porque permitem que uma empresa que despeça 25% dos seus trabalhadores receba apoios públicos. O Bloco de Esquerda vai propor o aumento do valor do apoio a atribuir a cada empresa e a obrigação de manter todos os postos de trabalho, sem exceções.

Notícias

Perante a decisão de encerramento generalizado das escolas em São Miguel, mesmo que nestas não haja casos de Covid-19, o Bloco de Esquerda exige que o governo regional implemente imediatamente um apoio que garanta a totalidade do salário aos pais que terão de faltar ao trabalho para apoiar os filhos e que o pagamento da mensalidade das creches e jardins de infância seja integralmente assumido pelo Governo Regional.

O Bloco de Esquerda vai levar mais uma vez ao parlamento uma proposta para acabar com o abate de animais saudáveis nos canis nos Açores, que é atualmente a única região do país em que esta prática ainda é permitida. A proposta, apresentada hoje em reunião de comissão parlamentar, pretende também que no ato da adoção de animais seja preenchido um questionário para aferir as condições e a motivação de quem adota, para garantir uma adoção responsável e evitar situações de posterior devolução do animal adotado.

O Bloco de Esquerda defende que é necessário contratar mais profissionais de saúde, nomeadamente enfermeiros, para assegurar o sucesso do plano de vacinação no combate à pandemia e para garantir, ao mesmo tempo, que a atividade normal do Serviço Regional de Saúde não será afetada.

Os trabalhadores contratados temporariamente para as unidades de saúde da Região para fazer face ao acréscimo de trabalho devido às medidas de combate à pandemia estão sem saber se os seus contratos vão ser renovados. A possibilidade de renovação por mais quatro meses está prevista nos contratos, mas o prazo para esta comunicação aos trabalhadores foi já ultrapassado.

Dossiers

Assina