Share |

BE quer secretário da Educação no parlamento para esclarecimentos sobre arranque do 3º período

O Bloco de Esquerda quer ouvir o secretário regional da Educação e Cultura no parlamento sobre o arranque do terceiro período escolar nos Açores. O BE reconhece a dificuldade de implementar um modelo de ensino à distância em tão pouco tempo, mas não pode aceitar a falta de organização e as enormes desigualdades de acesso ao ensino que se estão a verificar.

O Governo não pode fingir que tudo está a correr bem, e tem que assumir, com transparência, as dificuldades que está a encontrar e as falhas que estão a ocorrer, para que possam ser rapidamente colmatadas.

A plataforma online SGE (Sistema de Gestão Escolar) tem revelado problemas de estabilidade e continuam a existir alunos sem equipamentos informáticos ou sem internet para aceder aos conteúdos.

O BE sabe que houve situações em que o levantamento das necessidades de equipamento e acesso à internet feito informalmente pelos representantes dos pais, e noutras situações pelo diretor de turma, através do envio de um e-mail em que a ausência de resposta por parte das famílias seria entendida como não havendo falta de equipamento informático ou internet.

Se as famílias estão confinadas em casa, e não tiverem computador nem internet em casa, como é que podem responder a um levantamento de necessidades feito desta forma?

As falhas no levantamento são também visíveis através de declarações da presidente da Associação de Surdos da Ilha de São Miguel (ASISM), que, em notícia publicada ontem, refere que “há alunos surdos carenciados sem computador próprio e que não foram inquiridos no sentido de receberem o material informático”.

O BE não compreende também a falta de uniformização de procedimentos para o contacto entre os professores, os alunos e os pais, e alerta que estão a ser criadas, de forma generalizada, contas pessoais em redes sociais e outras plataformas para alunos menores, que podem pôr em causa a sua privacidade e os seus dados pessoais.

O requerimento a solicitar a audição do secretário regional da Educação e Cultura foi enviado ontem à presidente da Comissão de Assuntos Sociais e será votado numa próxima reunião desta comissão parlamentar.