Share |

Uma mentira escrita muitas vezes não faz um avião cargueiro voar

A importância de acompanhar, sempre que possível, os trabalhos parlamentares, prende-se com a necessidade de se conhecer as propostas que são apresentadas, debatidas e votadas, bem como a própria dinâmica de funcionamento parlamentar.

Uma coisa fundamental que é aquilo que se faz chegar às pessoas e isso requer alguma atenção. Hão-de concordar que o povo açoriano merece saber a verdade.

O plenário que se realizou entre os dias 5 e 8 de maio tratou unicamente de medidas que visavam a situação pandémica que nos encontramos a atravessar. Todos os plenários são importantes, no entanto, este tinha especial relevo porque pretendia responder a uma situação imediata, no qual deveriam ser aprovadas as melhores propostas, aquelas que respondessem a situações emergentes, que esta região apresenta.

Infelizmente, nalguns casos, não foi isso que se aconteceu. As maiorias funcionam assim: aprovam o que querem e como bem entendem. Escolher com quem jogar, mesmo que isso não represente o real interesse das pessoas, mas fica bem afirmar que são tão bondosos, tão bondosos, que fazem aprovar propostas de todos os partidos...

Na verdade, o que se assistiu poderá ser denominado como uma “relação aberta”, digamos. Deu jeito ao PS ter quem apresentasse algumas propostas fáceis de aprovar, não pela real diferença que faria na vida das pessoas, mas pelo facto de irem ao encontro daquilo que o PS pretendia. À outra parte envolvida, dava jeito dizer que era quem tinha mais propostas aprovadas.

No entanto, uma oposição construtiva não é aquela que facilita a aprovação das propostas, por facilitar. Uma oposição construtiva é aquela que se bate até ao fim pelo que tem mais significado e impacto positivo na sociedade.

Posto isto e porque uma mentira escrita repetidamente não pode ser interpretada como uma verdade: ficou bem esclarecido, pela Sra. Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, que não haverá fretamento de nenhum avião cargueiro! Tendo acrescentado, ainda, que a SATA respondeu e responde às necessidades de transporte de material indispensável ao combate da Covid-19.

O que aconteceu, durante o debate, foi épico: o PS a tentar arranjar argumentação que sustentasse a sua aprovação, quando nem o PS, nem o Governo Regional pretendiam cumprir aquilo que iam aprovar. Tanto o PS como o Governo Regional não concordavam com o fretamento do famigerado cargueiro.

Se não fosse um assunto tão sério, daria para rir.

Caso estejam interessados/as em assistir, poderão fazê-lo através da site www.alra.pt - videoteca.

https://video.alra.pt/Asset/Details/24c74e4e-e7bd-45ca-ae59-9e5400f33019