Share |

BE defende isenção de pagamento de creche até ao quarto escalão do IRS

O Bloco de Esquerda apresentou hoje uma proposta para garantir que as famílias até ao quarto escalão do IRS passem a ter acesso gratuito à creche para os seus filhos. Uma medida que “vai permitir a muitas famílias poupar até 2300 euros por ano”, assinalou Paulo Mendes.

O coordenador do BE, e cabeça de lista pela Terceira, que visitou esta manhã uma creche no concelho da Praia da Vitória, salienta que esta medida não é muito dispendiosa para a Região, e lembra que o valor da derrapagem das contas na obra última obra pública inaugurada na Terceira – o parque deexposições – seria suficiente para “cobrir bem à vontade esta despesa”.

“Não podemos ter uma família que receba 701 euros mensais per capita a ser tratada da mesma forma que uma família que tem um rendimento per capita de 3 mil euros”, disse Paulo Mendes, que considerou injusto que famílias com rendimentos tão diferentes paguem os mesmo 200 euros pela creche dos filhos.

Em declarações aos jornalistas, o candidato do BE na Terceira voltou ao tema que tem marcado esta campanha – a gestão do mar dos Açores – para assinalar as incoerências de PS e do CDS sobre esta matéria.

Vasco Cordeiro, nos Açores, defende que a Região deve ter “maior poder sobre a gestão do seu mar”, mas o PS na Assembleia da República votou favoravelmente, esta nova lei que permite a espoliação dos recursos no nosso mar.

Artur Lima disse publicamente que “a Região devia ter um maior poder de tutela sobre o seu mar, através de uma alteração da lei de bases do ordenamento e gestão do espaço marítimo”, mas, alguns dias depois, o mesmo Artur Lima, “simplesmente compactuou com as afirmações da líder nacional do CDS”, Assunção Cristas, que disse que “a atual lei estava muito bem”, disse Paulo Mendes.

O Bloco de Esquerda é o único partido que já apresentou de forma objetiva as alterações pretende introduzir na legislação – nomeadamente através de alterações no Estatuto Político-Administrativo dos Açores – para concretizar o reforço do poder da Região sobre o mar, e que já mereceu publicamente o apoio da líder nacional do partido, Catarina Martins.