Eurodeputada Marisa Matias acredita que ainda é possível travar a obra na Praia da Riviera

O Bloco de Esquerda acredita que ainda é possível travar o atentado ambiental da obra de construção da bar e balneários na Praia da Riviera. Marisa Matias, eurodeputada do Bloco de Esquerda esteve hoje no local e garantiu que vai levar o assunto à Comissão Europeia.

Marisa Matias afirmou que parar a obra “é sempre possível” e considerou que além do problema ecológico e ambiental – porque vai destruir uma das poucas dunas que ainda persistem na Terceira e que funcionam como barreira natural de proteção da orla costeira – o projeto está também condenado do ponto de vista económico, porque vai acabar por obrigar à construção de barreiras artificiais – que custam muito dinheiro – para proteger aquela zona da ação do mar.

“O ideal é não cometer este erro”, alerta a eurodeputada, que salienta que “ninguém está contra a utilização de espaços balneares, nem infraestruturas de apoio”, frisando que o que está em causa é “o tipo de projeto, que está nos antípodas daquilo que são as exigências atuais” em termos ambientais.

Marisa Matias diz mesmo que é uma obra em contraciclo: “Quando nos outros países da União Europeia assistimos à proteção daquilo que são as barreiras naturais, e ao recuar das construções para que haja espaço de respiração. Aqui parece que o processo é o contrário, é avançar em direção ao mar. E, obviamente, isto coloca vários problemas”.

“A nossa intenção, seguindo aquele que tem sido o alerta de cidadãos e cidadãs, que estão preocupados com este projeto, é tentar bloqueá-lo e impedir que ele possa avançar”, assumiu a deputada do Bloco no Parlamento Europeu.

Marisa Matias diz que “todas as frentes são necessárias e importantes”, referindo-se ao papel que os cidadãos têm desempenhado, assim como o trabalho que Bloco tem tido nesta matéria no parlamento dos Açores, mas recorda “que a legislação ambiental é europeia, e portanto, iremos levar esta questão à Comissão Europeia”.

A eurodeputada lamenta que não esteja a ser ouvida a voz dos cidadãos que se manifestam contra esta obra. Quanto ao facto de ser um projeto herdado do executivo anterior, do PS, Marisa Matias refere que não se podem “repetir os erros do passado”.

A deputada do Bloco em Bruxelas considera também que “não faz sentido estarmos a fazer aqui uma viagem ao passado” que contrasta com as novas políticas europeias: “há cada vez mais recursos, mais fundos, mais meios europeus dedicados a políticas de proteção ambiental, e está a ser criado o fundo climático europeu”.

Share this