Share |

Orçamento de Ponta Delgada para 2020 “não tem estratégia integrada de desenvolvimento”

O Bloco de Esquerda votou contra o Orçamento da Câmara Municipal de Ponta Delgada para 2020. Vera Pires, deputada municipal argumenta que “falta uma estratégia integrada de desenvolvimento sustentável para a cidade e para o concelho”.

Mobilidade, transportes, habitação, gestão de resíduos e ação social são áreas que o BE considera centrais para o desenvolvimento de Ponta Delgada a que o Orçamento da autarquia para 2020 – aprovado com os votos a favor do PSD e abstenção do PS – não dão resposta.

Vera Pires lamenta que várias das medidas propostas pelo BE surjam no Orçamento com um financiamento já definido que é claramente insuficiente para a sua concretização, nomeadamente a elaboração de um estudo de mobilidade do concelho e o reforço e melhoria dos abrigos dos pontos de paragem de transportes públicos, com apenas 100€ de financiamento definido para cada uma destas rubricas.

O BE insiste na importância da realização de um Estudo de Mobilidade, que deverá constituir a ferramenta de base para depois se articularem a definição da localização das Centrais de Camionagem, a reorganização dos parques de estacionamento e a reformulação dos circuitos minibus, o prolongamento e interligação das ciclovias e a criação de corredores pedonais de atravessamento da cidade.

No que diz respeito à habitação, o BE defendia a criação de uma bolsa municipal de arrendamento a preços acessíveis e definição de regras para o Alojamento Local. O BE propôs também o aumento da verba destinada ao Fundo Municipal de Solidariedade.

Sobre a gestão de resíduos, o BE insiste no alargamento da recolha seletiva porta-a-porta e na implementação de um projeto que beneficie quem produz menos resíduos.

“O Bloco de Esquerda continua a defender uma política que responda mais e melhor às necessidades dos cidadãos e melhore a sua qualidade de vida”, disse Vera Pires na declarações de voto.