Destaque

Na sequência das recentes denúncias de más práticas veterinárias no canil de Ponta Delgada, o Bloco de Esquerda desafia a autarquia a assumir a iniciativa de solicitar uma fiscalização extraordinária com o objetivo de garantir o cabal esclarecimento acerca das dúvidas por várias vezes suscitadas quanto ao cumprimento da legislação aplicável no Centro de Recolha Oficial (CRO) de Ponta Delgada. O Grupo Parlamentar do BE enviou hoje um requerimento ao Governo Regional com perguntas sobre esta matéria.

Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, diz que está na hora de obrigar os Estados Unidos da América a pagar pelos danos ambientais provocados pela utilização militar da Base das Lajes, pagar os custos da regeneração urbana das zonas utilizadas, e pagar compensações pela destruição de emprego provocada, à semelhança do que foi feito noutros países em que os EUA fecharam bases militares.

Notícias

O Bloco de Esquerda lamenta que PS e PSD estejam mais preocupados em garantir um relacionamento imaculado com os EUA, que são responsáveis pela contaminação dos solos da Praia da Vitória, do que em garantir a preservação do ambiente e da saúde pública dos terceirenses.

O Bloco de Esquerda acusa o Governo Regional de atrasar propositadamente o pagamento de prestações sociais para obter benefícios eleitorais. Referindo-se ao facto de o pagamento do complemento regional ao abono de família, que está há um ano em atraso, vir a ser pago de uma só vez no próximo mês de Agosto, próximo das autárquicas, Paulo Mendes diz que o Governo está a “transformar prestações sociais em instrumentos propagandísticos”.

O Bloco de Esquerda considera que a construção da Central Incineradora de São Miguel é “um erro grave” que trará “consequências negativas para a saúde pública e o ambiente” e que acarreta um “gigantesco custo económico”, por isso, o BE levou hoje ao parlamento um voto de protesto pela adjudicação da obra pela Associação de Municípios de São Miguel (AMISM).

O Bloco de Esquerda considera que o processo despoletado pela exoneração do anterior conselho de administração da Unidade de Saúde da Ilha do Pico (USIP), que esteve em debate hoje no parlamento, veio demonstrar a falta de rigor e de transparência que existe na administração pública nos Açores.

Opinião

É uma vergonha que o Governo Regional utilize as carências daqueles e daquelas que menos têm para jogo político do partido do poder.

Apesar das tentativas da elite (de cá e da República) para o disfarçar, o custo da permanência das forças militares norte-americanas na base das Lajes é cada vez mais evidente pela perda de oportunidades de investimento na ilha Terceira.

Assina