Share |

BE quer garantir escoamento de produtos regionais através de quota para grandes superfícies

 

Zuraida Soares, candidata do BE às próximas eleições, esteve esta manhã no Mercado da Graça, em Ponta Delgada, para apresentar propostas concretas para a dinamização da produção e comercialização de produtos hortícolas, frutícolas e florícolas dos Açores: O Bloco de Esquerda defende a imposição de uma quota obrigatória de produtos regionais às grandes superfícies comerciais, que garanta o escoamento da produção local, garantindo um preço justo aos produtores e aos consumidores.

“A quota de produtos regionais que o Governo tem que impor às grande superfícies comerciais que vêm para os Açores para ganhar dinheiro, tem que garantir um preço justo ao produtor e um preço justo ao consumidor. Isto iria obrigar as grandes superfícies, que recebem dinheiros públicos para se instalarem nos Açores, a dar uma contrapartida por este apoio público”, disse a candidata do Bloco.

Zuraida Soares deixou críticas à enorme demora para a aprovação de projectos de jovens agricultores: “Nenhum jovem agricultor aguenta ficar um ou dois anos na absoluta incerteza se irá receber apoios ou não. Tem que haver mais celeridade e eficiência nestes processos”.

O tema das quotas leiteiras voltou a ser abordado pela campanha do BE. A cabeça de lista do partido desafiou a ministra da Agricultura a não assinar a reforma da Política Agrícola Comum (PAC), sem que nesta revisão esteja garantida uma cláusula excepção para os Açores e para sua quota leiteira.

“A Agricultura é um pilar fundamental da economia dos Açores. Não nos podemos dar ao luxo de permitir o fim das quotas”, disse Zuraida Soares, considerando que isto iria aumentar a tragédia social nos Açores.

“A ministra Assunção Cristas não pode vir aos Açores fazer campanha ao lado de Artur Lima e dizer que está a lutar pelas quotas, ao mesmo que tem assinado documentos na União Europeia que já dão o fim das quotas leiteiras como um facto consumado”, disse Zuraida Soares, apontando a falta de coerência do CDS.

Ainda sobre o tema do Leite, a cabeça de lista do Bloco por São Miguel e pelo círculo de Compensação Regional rederiu que, com a ameaça do fim das quotas, a Região tem que apostar na qualidade e na diferenciação, através da marca “Açores”, criticando assim os apoios que têm sido disponibilizados para vender o leite açoriano como marca branca. “Apostar na marca branca é dar um tiro no pé”, disse.