Bloco considera que a autarquia da Lagoa tem que dar passos concretos para assegurar a existência de meios de socorro no concelho

O Bloco de Esquerda considera que a Câmara Municipal de Lagoa tem que dar passos concretos para que a existência de meios de socorro no concelho em permanência seja uma realidade. Mário Rui Pacheco, do núcleo do Bloco de Esquerda da Lagoa, lembra que defendeu esta ideia, enquanto candidato às últimas eleições autárquicas, há um ano atrás.

No âmbito de um simulacro realizado este fim-de-semana na Lagoa, o vice-presidente da autarquia defendeu a implementação de uma secção destacada dos bombeiros de Ponta Delgada na Lagoa.

Mário Rui Pacheco lembra que, na campanha para as eleições à Câmara Municipal, enquanto candidato pelo Bloco de Esquerda, propôs a presença em permanência de uma ambulância no Centro de Saúde de Lagoa, para garantir uma resposta mais rápida a situações de emergência e maior segurança à população.

O Bloco de Esquerda considera que o executivo da autarquia pode fazer mais, avançando inclusivamente para o investimento necessário para a compra de uma ambulância, cujo valor ronda os 60 mil euros. Um investimento que a dimensão populacional da Lagoa já justifica.

A existência em permanência de uma ambulância com tripulação no concelho iria garantir uma resposta mais rápida e eficaz às emergências, em vez de ser necessário esperar pela chegada de uma ambulância de Ponta Delgada.

“A existência de uma ambulância mais próxima permite uma resposta mais rápida, o que, no limite, pode salvar vidas”, disse Mário Rui Pacheco, em julho do ano passado, enquanto candidato do Bloco de Esquerda.

Share this