Share |

Decisão da adjudicação da construção da incineradora lembra o poder absoluto dos Capitães Donatários

O Bloco de Esquerda/Açores considera um grave erro a decisão, hoje anunciada pela AMISM, em adjudicar a construção da incineradora de São Miguel. Esta decisão é mais um passo na concretização de um projeto que não serve à ilha de São Miguel e que terá consequências negativas na saúde pública e no ambiente, para além do seu gigantesco custo económico imediato e futuro. É um projeto megalómano e insustentável que custará muito caro aos contribuintes.

De forma totalmente incompreensível, a AMISM, apesar de anunciar que terá financiamento para a instalação de um TMB a montante da incineradora, não pretende sequer redimensionar a incineradora, ignorando a inevitável redução da quantidade de resíduos que chegará a esta. Apesar destes factos, de todos os alertas e riscos apontados, de todos os argumentos e apelos para que este processo seja travado, o presidente da AMISM, como se fosse um Capitão Donatário, leva a sua decisão avante, mesmo que para isso tenha que se contradizer publicamente vezes sem conta. Por alguma razão, nada, nem ninguém, consegue demover a AMISM e o seu presidente, Ricardo Rodrigues, da intenção de levar por diante este projeto.

A partir desta decisão de adjudicação poderão existir custos para os contribuintes e todos os presidentes de Câmara da ilha de São Miguel serão responsáveis por todas as consequências que dela advêm. Responsáveis, são também PS e PSD como partidos de que fazem parte os presidentes de Câmara de São Miguel. Não menos responsável é o Governo Regional por ter, com as alterações ao Plano de Gestão de Resíduos, aberto a porta à incineração, e pelo seu apoio à decisão da AMISM.

O Bloco de Esquerda continua a luta contra a incineração e exige a suspensão imediata do processo para que, de forma séria e transparente, se desenvolva uma solução integrada, ambiental e economicamente sustentável para os resíduos sólidos urbanos em São Miguel.