Share |

Desespero do Governo para manter poder relega problemas das pessoas para segundo plano

A constante alteração das linhas orçamentais estruturantes pelo Governo do PSD, CDS e PPM é um “espetáculo singular” cujo objetivo é apenas “obter, desesperadamente, a viabilização do orçamento” e a “manutenção do poder a qualquer custo”, disse Alexandra Manes, que acusa o governo de direita de “relegar para segundo plano as respostas aos problemas das pessoas”.

A deputada do Bloco de Esquerda lamenta que, para alcançar o Governo, o PSD tenha abraçado “um partido que promove o racismo, a xenofobia, a criminalização da pobreza”, e que não respeita a Autonomia, “como se confirma, aliás, de cada vez que André Ventura fala sobre os Açores”.

“O silêncio do PSD perante este ataque à autonomia perpetrado pelo Chega, particularmente nestes últimos dias, é deplorável e revela a forma como o PSD se encontra sufocado pelo que criou”, assinalou Alexandra Manes.

Sobre as opções políticas deste orçamento, a deputada do Bloco de Esquerda criticou a redução de verbas para a Saúde, a redução de verbas para os apoios sociais e a redução de verbas para a Cultura, a falta de soluções para aumentar o número de professores e auxiliares nas escolas, a falta de medidas para combater a precariedade, e a indefinição sobre o futuro da SATA.

“O Governo tem que deixar claro, aqui no parlamento, que destino vai dar à companhia aérea açoriana: é para fechar, como defende o Chega, ou não?”, perguntou Alexandra Manes.

“Uma coisa é certa! A verba orçamentada para a SATA é insuficiente! Na ânsia de fazer aprovar este orçamento a qualquer custo, e para agradar aos parceiros de incidência parlamentar, o Governo reduz as verbas destinadas à SATA. O Governo está já a planear um orçamento suplementar? Se assim for, é um truque para tentar ludibriar os açorianos”, disse ainda.

Alexandra Manes apontou duas áreas fundamentais para o desenvolvimento dos Açores, que não estão contempladas na estratégia do atual governo: a posição geográfica e o mar.

“Sobre estas áreas, este Governo deixou-se ficar pela organização de seminários, fóruns e proclamações ocas, mas na prática manteve o rumo que vai apenas transformar os Açores em arrendatários das suas potenciais riquezas”, lamentou a deputada do Bloco.

“Este Orçamento não serve os Açores e só pode merecer o voto contra do Bloco de Esquerda”, reiterou Alexandra Manes.