Share |

Vera Pires quer derrubar barreiras arquitetónicas e mentais para que Ponta Delgada seja mais inclusiva

Vera Pires quer “derrubar barreiras arquitetónicas e mentais” para transformar Ponta Delgada num concelho inclusivo, em que todos tenham as mesmas oportunidades e direitos, com especial atenção para os imigrantes, as pessoas com deficiência, ou as pessoas da comunidade LGBT+, que muitas vezes ainda sentem dificuldades no acesso a direitos básicos como a mobilidade e a habitação.

Após uma reunião com a Associação de Imigrantes nos Açores, a candidata do Bloco de Esquerda disse que “Ponta Delgada tem que contar com todas as pessoas e tem que dar espaço a todas as pessoas, para, na sua diversidade, terem as mesmas oportunidades”.

Vera Pires salientou que a existência de um Plano Municipal para a Igualdade em Ponta Delgada se deve a uma proposta que o Bloco de Esquerda apresentou na Assembleia Municipal, e defende que este plano tem que ser implementado de forma mais efetiva.

É preciso “derrubar barreiras”, disse a candidata do Bloco, referindo-se às barreiras arquitetónicas – “que causam dificuldades às pessoas com mobilidade reduzida”, mas também às barreiras mentais “que fazem com que se olhe o outro, aquele que é diferente, como não sendo cidadão, e não tendo os mesmos direitos”.

Este Plano Municipal para a Igualdade, criado por iniciativa do Bloco em Ponta Delgada define uma estratégia e metas concretas para combater a violência de género e todas as formas de discriminação, em estreito diálogo e cooperação com os serviços públicos de saúde, educação e segurança social, as forças de segurança, as organizações sociais, e a própria comunidade.

Vera Pires terminou afirmando que garantir os direitos básicos de todos “é a melhor maneira de criar um ambiente saudável positivo, em que toda a gente se sinta como pertencente e podendo dar o seu contributo”, e lamenta que isso ainda nem sempre acontece em Ponta Delgada.